08/07/2022

Tudo o que você precisa saber sobre o herpes genital | DYÔ

SAÚDE: SAIBA MAIS SOBRE HERPES GENITAL

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde) estima-se que o herpes genital afeta cerca de 20 milhões de pessoas ao redor do mundo por ano. 

Esse alto índice reforça a necessidade de falar e entender mais sobre ISTs, como elas se manifestam, e o que fazer para evitá-las. Por isso, hoje a DYÔ separou alguns fatos importantes sobre o herpes genital e seus sintomas, acompanhe! 

 

O QUE É HERPES GENITAL?

O Herpes genital é uma infecção sexualmente transmissível que possui um número alto de casos.

Essa infecção é provocada pelo vírus do herpes simples (HSV), ele causa lesões na pele principalmente, em regiões mucosas como os órgãos genitais masculinos e femininos. Embora os sintomas sejam semelhantes ao da herpes labial, as infecções não são iguais, já que pertencem a diferentes tipos de vírus. 

Por ser uma infecção de alta prevalência, estima-se que cerca de 50% da população mundial já tenha entrado em contato ou seja portadora da doença.

 

COMO O HERPES GENITAL É TRANSMITIDO?

A transmissão acontece quando há um contato direto com o líquido presente nas lesões que  geralmente estão localizadas nos genitais, podendo se estender as coxas, ânus e até mesmo chegar ao o colo do útero. 

O percursor da infecção e transmissão é o ato sexual, seja ele oral, anal ou vaginal, sem uso de preservativos com outro indivíduo que porte o vírus.

 

COMO SABER SE TENHO HERPES GENITAL?

Os sintomas dessa infecção surgem de 10 a 15 dias após a relação sexual com outro portador do vírus e dentre os sintomas mais comuns estão: 

Coceira;

Desconforto e dor local; 

Sensação de ardor na região íntima e eventualmente dores ao evacuar (se houver lesões próximas ao ânus);

Pequenas feridas ou fissuras nos órgãos genitais;

Vermelhidão na região;

Lesões em formato de pequenas bolhas;

Ínguas na virilha.

 

Além disso, outros sintomas podem acender o alerta para procurar um médico, como: 

Febre baixa ou estado febril (37,5 ºC);

Calafrios;

Dores de cabeça;

Mal-estar constante; 

Perda de apetite; 

Dores musculares;

Cansaço.

Infecção urinária, dor ao urinar e leve coceira, também são considerados sintomas da herpes genital.

 

Como é feito o diagnóstico da herpes genital?

Se você manteve relações sexuais sem preservativo com um portador do vírus ou está apresentando algum sintoma, o diagnóstico pode ser realizado através do exame físico com um ginecologista ou urologista.

Além disso, é possível detectar o vírus através de exames como cultura de vírus, PCR e exame de sangue.

No caso do exame de sangue, os resultados conseguem mostrar se o que está presente no organismo é o vírus ou os anticorpos da herpes genital, o que indica se houve infecção em algum momento.

 

O HERPES GENITAL TEM CURA?

Assim como outra infecção de alta prevalência, o HPV, a herpes genital também não tem cura. O tratamento é feito através do curativo das lesões com remédios e pomadas específicas. 

Vale ressaltar que o vírus é combatido pelo próprio organismo através do sistema imunológico, mas em contrapartida, o vírus também é protegido por ele. Isso torna comum a volta das bolhas e lesões quando há queda de imunidade.

A recomendação é realizar o diagnóstico com um especialista para que o tratamento realizado seja o adequado e assim, diminuir a gravidade e duração dos sintomas.

 

COMO EVITAR A INFECÇÃO E TRANSMISSÃO?

O passo mais importante para evitar a transmissão e infecção sem dúvidas é a utilização de preservativos durante as relações sexuais. A doença não é mais contagiosa quando passa o período das bolhas e surgimento deste líquido. 

Mas caso você já tenha entrado em contato com o vírus saiba que cuidar da imunidade faz toda a diferença para evitar que as lesões e sintomas voltem. Por isso, mantenha um padrão de vida equilibrado, tenha uma alimentação saudável, pratique exercícios, cuide da imunidade e evite situações de estresse e ansiedade.

Nós sabemos que nem sempre receber o diagnóstico é fácil, mas tenha em mente dois pontos: o primeiro deles é que uma grande parcela da população já entrou ou entrará em contato com o vírus, você definitivamente, não está sozinha.

O segundo ponto é que um diagnóstico não é uma sentença. A sociedade fala muito pouco sobre esse assunto e acaba tornando-o um estigma e tabu principalmente, para quem convive com a doença. Por isso, lembre-se de que é possível manter uma vida sexual saudável e uma vida normal mesmo depois do vírus, basta ter responsabilidade, fazer o acompanhamento e claro, usar preservativo!

 

 

O herpes genital é uma IST (Infecção Sexualmente Transmissível) muito comum entre a população mundial sexualmente ativa. Para se ter uma ideia, estima-se que pelo menos 50% das pessoas já entraram em contato com esse vírus. 

Os sintomas mais comuns do herpes genital são lesões na região íntima, ardor, vermelhidão e coceira. Mas normalmente, seu diagnóstico é simples sendo necessário apenas um exame físico para comprovar a infecção.

Por ainda não ter cura, alguns pontos são de extrema importância para o bem-estar de quem convive com o vírus, como realizar um acompanhamento com um médico especialista, estar atento aos sintomas, cuidar da saúde e imunidade e principalmente, usar preservativo nas relações sexuais.

Por fim, reforçamos mais alguns pontos abordados neste post: visite seu médico em caso de suspeita e caso o diagnóstico seja confirmado, não se desespere. Há tratamento e você não está sozinha!

Falar sobre sexo é falar sobre saúde! Espalhe essa ideia, compartilhe essa matéria e ajude na prevenção do herpes genital.