04/11/2022

Novembro azul: Tudo o que você precisa saber para prevenir o câncer de próstata! | DYÔ

NOVEMBRO AZUL: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA PREVENIR O CÂNCER DE PRÓSTATA

 

INTRODUÇÃO

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA) "O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens no Brasil, atrás apenas do câncer de pele do tipo não melanoma. Tanto é que, para 2018, a estimativa é de mais de 68 mil novos casos da doença."

Contudo, assim como grande parte dos cânceres, se detectado precocemente, o câncer de próstata pode ter um tratamento menos invasivo e elevar as chances de cura. 

Por isso, hoje, a DYÔ, quer reforçar a importância dessa campanha e conscientizar que o câncer de próstata tem cura. Acompanhe!

 

NOVEMBRO AZUL: COMO SURGIU E O QUE É?

A campanha surgiu em 2003 em Melbourne, na Austrália e veio da iniciativa de dois amigos, Travis Gatone e Luke Slattery.

Tudo começa quando, na época, ambos estavam se divertindo em um pub e conversavam sobre ficar ou não bem de bigode (estilo que estava fora de moda na época).

Então, se inspiraram na campanha realizada pela mãe de um outro amigo, que visava angariar fundos para um tratamento de câncer de mama. Travis e Luke tiveram a ideia de associar o uso do bigode com a conscientização sobre a saúde masculina.

Novembro, então, foi o mês escolhido para deixar o bigode crescer, já que no dia 17 do mesmo mês, já se comemorava o Dia Mundial do Combate ao Câncer de Próstata. Foi aí que a rede começou a crescer, sendo que naquele ano, aproximadamente 30 amigos já aceitaram participar da campanha e, como muita gente se interessava pelos bigodões, a história foi se espalhando cada vez mais.

Fundada no ano seguinte, a Movember Foundation (junção das palavras moustache (“bigode”) e November (“novembro”)) surgiu como uma organização sem fins lucrativos que visava receber fundos para o combate ao câncer de próstata. 

Com o passar dos anos, a campanha foi atraindo cada vez mais participantes e acabou se espalhando para mais de 20 países onde os participantes aderiram a ideia de não raspar o bigode em novembro e, no caso das mulheres, bigodes falsos e roupas na cor azul eram utilizadas, já que a cor é o símbolo da luta contra o câncer de próstata, conhecida hoje, como Novembro Azul por aqui.

 

EXISTEM FATORES DE RISCO PARA O CÂNCER DE PRÓSTATA?

A lesão que gera o tumor costuma se desenvolver preferencialmente em indivíduos acima dos 50 anos, sendo que, mais da metade dos pacientes com esse quadro, têm 65 anos ou mais.

Isso porque, a maioria dos tumores possuem uma progressão lenta que dura anos ou muitas vezes décadas, isso faz com que grande parte dos pacientes conviva com a doença por muito tempo antes de apresentar qualquer sintoma. 

Contudo, vale ressaltar que existe uma parcela dos pacientes que apresenta a doença agressiva com progressão rápida e um surgimento relativamente precoce. 

Portanto, não é possível afirmar quais pacientes possuem uma pré-disposição ou apresentarão um quadro mais grave através dos métodos disponíveis atualmente.

Por fim, por não ter relação com um fator de risco modificável, a comunidade médica afirma que não há medidas preventivas específicas para o câncer de próstata e que o sucesso do tratamento depende quase que exclusivamente do diagnóstico precoce, este pode ser realizado: 

• Através de exames de rastreamento: aqueles utilizados para procurar a doença antes que os sintomas se manifestem;

• Exame de toque retal;

• Dosagem do PSA: antígeno prostático específico no sangue. 

Esses exames podem ser solicitados anualmente pelo médico urologista, mas somente na população com maior risco de desenvolver a doença: homens a partir dos 50 anos (ou 45 dependendo da situação). 

 

COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO?

O diagnóstico da doença normalmente é feito a partir do rastreamento antígeno prostático específico (PSA) no sangue ou através do exame de toque retal. Vale ressaltar que o câncer de próstata em estágio inicial não provoca sintomas, isso dificulta o diagnóstico já que quando a doença está em um estágio mais avançado o paciente apresenta sintomas que facilitam o diagnóstico.

Caso haja suspeita de câncer, o paciente pode ser submetido a outros exames, sendo que o diagnóstico final só pode ser confirmado a partir de uma biópsia da próstata.

Ou seja, médicos e especialistas indicam o exame principalmente para aqueles que apresentam alguma suspeita ou sintoma, nesse momento o exame de toque retal é realizado para que se possa analisar o tamanho da próstata, a consistência, se há lesão no local e se existe alguma dor ou desconforto no paciente.

 

O QUE FAZER DEPOIS DE DESCOBRIR UM CÂNCER?

O câncer de próstata é um dos mais comuns no público masculino e acomete homens a partir dos 50 anos.

O susto ao receber o diagnóstico é quase que inevitável e é justamente aí que o novembro azul entra em cena, para relembrar que se descoberto precocemente, o câncer de próstata possui altas chances de cura.

Por isso, caso receba o diagnóstico procure manter a calma e seguir à risca o tratamento indicado pelo médico especialista para ter uma progressão tranquila e com sucesso.

Faça a sua parte! Compartilhe essa matéria com alguém que também precisa saber disso!