13/01/2022

Como Aumentar o Desejo Sexual Feminino?

COMO AUMENTAR O DESEJO SEXUAL FEMININO?

Segundo estudos realizados no Centro de Referência e Especialização em Sexologia (Cresex) do hospital estadual de São Paulo, Pérola Byington, cerca de 48,5% das mulheres são afetadas pela falta ou diminuição do desejo sexual. Confira a seguir como aumentar o desejo sexual feminino!

Sentir menos desejo sexual é uma queixa comum entre o público feminino. Mas será que alguém já se perguntou quais são as causas de um número tão expressivo? Neste artigo nós destacamos alguns fatores que podem desencadear esse problema e como driblar a falta de apetite sexual feminino.

 

PRINCIPAIS CAUSAS DE FALTA DE APETITE SEXUAL FEMININO

No início, você provavelmente deve ter sentido que era apenas uma situação pequena e isolada fazendo com que você evitasse o contato sexual: o cansaço do dia a dia, a rotina do relacionamento, o estresse… Mas logo depois, a culpa e os questionamentos do porque isso poderia estar acontecendo bateram na porta e começaram a gerar dúvidas. “Será que tem algo de errado comigo?”, “Meu parceiro deve pensar que o problema é com ele” “só eu devo me sentir assim”.

Saiba que muitas mulheres passam por isso, e se você se identificou com essa situação, não se culpe! Muitas vezes os fatores são silenciosos e precisam de atenção para serem percebidos. Então, se você quer entender as possíveis causas da falta de apetite sexual, nós elencamos algumas delas.

Mas antes, é importante ressaltar que existem muitas variáveis de mulher para mulher, e que nem sempre não ter vontade de ter relações sexuais é de fato um problema. Se isso te causa sofrimento, é importante entender as causas e o que fazer para solucionar essa questão. 

Um outro ponto de atenção é que principalmente no caso de mulheres, questões como a influência cultural, familiar e educação tem um peso maior do que para homens e esse peso está intimamente ligado ao desejo sexual. 

Enquanto homens são estimulados desde cedo a ter interesse por sexo, nós mulheres passamos séculos sendo reprimidas do prazer e do estímulo sexual. São anos ouvindo que é errado e que é pecado uma mulher sentir prazer. Por isso, antes de começar de fato eu preciso que você repita para você mesma: “Ter uma vida sexual prazerosa é muito saudável e não deve ser abdicado da minha vida”, certo?

Agora que já entendemos um contexto mais teórico, vamos a fatores mais práticos? Afinal, o que diminui o apetite sexual feminino?

 

Problemas no relacionamento

Falta de intimidade, discussões, relacionamento desgastado e por aí vai. Mais uma vez: A culpa não deve ser sempre da mulher. Já dizia o velho ditado “quando um não quer, dois não fazem” então se o seu relacionamento anda meio conturbado, saiba que esse pode ser um grande fator para perder o tesão de ter uma relação prazerosa.

Aqui, não tem muito para onde correr. O diálogo é sempre a melhor opção, por isso, converse com o seu parceiro. Experimente contar o que você gosta ou não gosta na hora H e deixe-o se abrir também. Caso ambos já saibam e tenham bastante intimidade, vocês podem optar por trazer coisas diferentes e inovar durante as relações sexuais usando, por exemplo, géis e jogos eróticos (mas nós falamos disso mais tarde), se o problema for a rotina.

Agora, se as questões de vocês estão fora da cama, reconsidere a relação. Sexo é vida e saúde, e nada que afete sua saúde e qualidade de vida vale a pena, até porque convenhamos, né? Como ter um sexo bom quando não admiramos e estamos bem com nosso parceiro?

Uso de medicamentos

A perda de desejo sexual pode ser efeito dos medicamentos que você toma.  Medicamentos como pílulas anticoncepcionais, ansiolíticos, anti-hipertensivos, antidepressivos, anticonvulsivantes e anti-histamínicos, provocam alterações hormonais que podem interferir no sistema nervoso do corpo, o que acarreta na diminuição do desejo sexual. 

Alterações emocionais

Situações de estresse, cansaço e distúrbios psicológicos como ansiedade e depressão também podem ser um dos motivos para a diminuição do apetite sexual, isso porque, são estados que interferem de maneira direta no humor, bem-estar e na disposição de quem os sofre, nesses casos é mais comum que a falta de desejo sexual seja temporária.

Para a maioria das mulheres os fatores emocionais têm maior peso que os biológicos, isso porque, como hormônios e neurotransmissores são afetados e não estão executando suas funções de maneira equilibrada, o bem-estar psicológico, profissional e sintonia com o parceiro são apenas alguns dos fatores determinantes que podem minar a libido feminina.

Menopausa

A menopausa é um período onde ocorrem diversas alterações hormonais. E quando há um desequilíbrio nos níveis de hormônios sexuais femininos, a falta de apetite sexual pode aparecer.

A maioria das mulheres sente essa mudança no desejo sexual por conta dessas variações hormonais, uma delas é a queda dos níveis de estrogênio, um hormônio produzido pelos ovários e que está relacionado a características sexuais da mulher. Além disso, assim como a progesterona, o estrogênio também atua no preparo da mulher para uma gestação, no ciclo ovulatório ou período fértil.

Antes de seguir qualquer alternativa, ressaltamos que a comunicação com o seu parceiro pode facilitar (e muito) a entender mudanças na rotina sexual do casal. 

Por isso, não tenha medo nem vergonha de expressar os seus sentimentos com o seu companheiro. Falar é importante para que fique claro o que você está passando e para direcioná-lo a poder te ajudar.

Dor durante a relação sexual

Dores durante as relações sexuais são comuns mas definitivamente não são normais. Muitas mulheres acreditam que isso seja algo natural, quando na verdade o corpo está enviando um alerta avisando que existe algo errado, em alguns casos pode se tratar de sintomas de uma disfunção sexual. 

Por falta de informação ou por acreditarem que seja algo corriqueiro demais para ser um problema, algumas mulheres acabam não procurando um médico  e tendo seu interesse em buscar o prazer diminuído, já que procuram evitar a dor ou desconforto na hora do sexo.

 

O QUE É DISFUNÇÃO SEXUAL?

A disfunção é qualquer questão de cunho sexual  que proporcione sofrimento pessoal sobre as relações Essa disfunção pode se apresentar de diversas maneiras algumas delas são:

Diminuição do desejo sexual;

Alteração da excitação;

Ausência de fantasias sexuais;

Dificuldade de atingir o orgasmo ou dor durante o ato sexual.

 

COMO AUMENTAR O DESEJO SEXUAL FEMININO?

Situações internas e externas possuem influência direta sobre o nosso corpo. Até este ponto, nós já entendemos que existem fatores diferentes que podem afetar a libido, uso de medicamentos, causas psicológicas e fisiológicas, enfim, são diversas as situações e o tratamento sempre varia de mulher para mulher.

Por isso, é importante ressaltar que fatores externos são tratados de maneira diferente que os fatores internos, e nem sempre o que funcionou para uma, irá funcionar necessariamente com a mesma eficácia para todas.

Sabendo disso, separamos algumas dicas de como aumentar o desejo sexual feminino que podem te ajudar a enfrentar esse problema e ter uma vida sexual mais saudável e prazerosa.

Praticar exercícios

A atividade física é comprovadamente um hábito que contribui para uma melhora na disposição e bem-estar. Além de elevar a autoestima, praticar exercícios físicos promove a liberação de neurotransmissores que interferem na libido. 

E quando falamos de atividade física não falamos de uma atividade ideal. Vale qualquer atividade  que você goste de fazer: caminhada, dança, andar de bicicleta… O importante é movimentar o corpo.

Alimentos afrodisíacos

Além de possuírem nutrientes estimulantes, consumir alimentos afrodisíacos potencializa a produção de hormônios sexuais e melhora o apetite sexual, tanto de homens quanto de mulheres.

Veja 4 alimentos afrodisíacos e que que você provavelmente tem em casa:

Chocolate

O chocolate aumenta a produção de serotonina: hormônio que proporciona bem-estar e possui um estimulante alcalóide que potencializa a libido e energia.

Vinho tinto

Segundo estudiosos da Universidade de Florença, na Itália, mulheres que tomam duas taças de vinho tinto por dia têm a libido mais aflorada.

Pimenta

Picante ao ponto de esquentar a relação. A pimenta acelera o metabolismo e potencializa a excitação.

Amendoim

Fonte de Arginina, o amendoim estimula o aumento do fluxo sanguíneo nas zonas erógenas, e aumenta o desejo sexual

 

Acho difícil, mas caso você não goste de nenhuma das opções, existe uma lista imensa de alimentos afrodisíacos que podem te ajudar a esquentar o clima na hora H. Além disso, eles podem ser ingeridos individualmente ou adicionados em refeições habituais, isso porque eles passam facilmente despercebidos e acrescentam sabor e valor nutritivo às refeições.

Usar géis excitantes

Para sair da rotina e experimentar novas sensações, géis excitantes são uma excelente opção. Além de estimular a lubrificação, eles contam uma variedade de sabores e funcionalidades.

Os géis excitantes da DYÔ, por exemplo, são formulados a partir de extratos naturais que estimulam o prazer durante a relação sexual como: o jambu, centella asiática, extrato de romã, extrato de malva e muitos outros. 

Esses extratos unidos à formulação focada no prazer e bem-estar, garantem sensações como: vibração, refrescância ou aquecimento na região, aumento da lubrificação e claro, prazer e orgasmos mais intensos.

Muito mais que desejo, com os géis excitantes da DYÔ o prazer é realidade!

Jogos eróticos

Para aumentar a intimidade do casal e deixar o momento mais leve, jogos eróticos são uma excelente jogada!

Existem muitas opções e formatos de jogos eróticos no mercado, alguns deles contam com jogos de cartas, tabuleiro, dados e até mesmo aplicativos que permitem um jogo mais quente.

Procurar um médico

Não deixe a falta de informação afetar sua saúde! O primeiro passo para solucionar a falta de desejo sexual é falar sobre ela e consultar um especialista. Somente ele conseguirá te fornecer de maneira segura e certeira os motivos da perda de apetite sexual e direcionar o melhor tratamento para o seu quadro.

Viagra feminino

Existe um remédio que foi apelidado de “viagra feminino”, porém, os resultados e funções desse medicamento não são os mesmos que os iniciais.

O Addyi, é uma medicação com a função inicial antidepressiva e segundo a professora de ginecologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Maria Celeste Osório Wender, durante as pesquisas foi constatado sua eficiência perante o aumento da libido feminina, mas é importante ressaltar que sua indicação não deve se abranger para todas as mulheres. 

O uso é indicado apenas para mulheres que ainda não passaram pela menopausa, e que apresentem sintomas como: falta persistente de desejos sexuais, acompanhado de estresse e ou dificuldade em suas relações.

Além disso, a ginecologista alerta para alguns fatores antes de ingerir a pílula:

Esse medicamento deve ser usado diariamente e não apenas antes da relação

O “Viagra feminino” possui reações adversas como: sonolência e tontura e para não agravá-los, é proibido consumir álcool 

É recomendável evitar o uso de anticoncepcionais.

 

 

 

 

A liberdade sexual feminina bem como seu desejo ainda é tema de tabu e questionamentos, e isso não deve ser acatado. Nós precisamos falar sobre sexo, sobre saúde, sobre desejos e sobre o que nós quisermos. Mulheres podem e devem sentir e reivindicar seu prazer e a DYÔ sabe disso.

Ter uma vida sexual saudável reflete diretamente na nossa saúde e bem-estar. Estimulações e debates sexuais não podem estar restritos somente aos homens, por isso, não deixe sua saúde de lado. Se você sente dor durante as relações sexuais ou não sente desejo sexual como deveria, procure ajuda. 

Se falar com o parceiro ou até mesmo ir ao médico é um passo muito grande para você comece aos poucos, divida com suas amigas ou pessoas que você confie, mas não deixe de consultar um médico, combinado? Em situações como essa é normal sentir culpa ou até mesmo pensar que só acontece com você mas acredite: é mais comum do que você imagina.

E assim como mencionamos em um dos tópicos acima, não é por que é comum que seja normal. Por isso, a DYÔ quer sempre te lembrar que por aqui você nunca estará sozinha e que nossos produtos e conteúdos são pensados especialmente para mulheres que sabem o que merecem, mulheres que se amam, mulheres que se cuidam. Mulheres DYÔ

Nós queremos te ajudar a mudar os rumos do seu prazer. Vamos juntas?